quarta-feira, 3 de agosto de 2011

PROJETO DE ESTÁGIO EM GESTÃO ESCOLAR

APRESENTAÇÃO

As crianças que freqüentam a escola desde os primeiros anos de vida apresentam melhor desempenho no processo de ensino-aprendizagem. Essa é a conclusão do estudo “O efeito da educação infantil sobre o desempenho escolar”, medidos em exames padronizados que tomou como base resultados do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB) de 2003 e da Prova Brasil de 2005. Alunos que passaram pela educação infantil obtiveram 15,9 pontos a mais nos exames quando comparados aos que não estavam na escola nessa fase. Com o foco voltado para a região sudeste, os benefícios ficam mais evidentes. O desempenho é semelhante ao de estudantes da sétima série. Mais benefícios também foram apontados pelo estudo” O efeito da pré-escola sobre os salários, a escolaridade e a proficiência escolar”. A renda de quem freqüentou  a creche  é o dobro da de quem foi para a escola só depois dos seis anos de idade. E o acesso a universidade é maior  sendo que vinte e oito por cento dos que entraram na creche antes dos três anos de idade tem nível universitário.
Portanto, se faz necessário que as escolas desenvolvam um trabalho voltado para permanência e sucesso no processo educativo dos discentes.

OBJETIVOS


OBJETIVO GERAL
Garantir através de ações planejadas o desenvolvimento infantil pleno e a aquisição de conhecimentos com o intuito de que o aluno construa sua autonomia e atuação crítica na sociedade de maneira democrática e saudável.

OBJETIVO ESPECÍFICO
Melhorar e garantir o acesso dos educandos à escola.
Estimular a regularidade escolar aumentando a freqüência e o envolvimento dos alunos no processo educativo.
Dinamizar e diversificar as atividades escolares de maneira que os alunos vivenciem práticas prazerosas ajudando-os a desenvolverem o pensamento crítico e autônomo, integrando ainda, alunos e familiares aos projetos desenvolvidos no ambiente escolar.

JUSTIFICATIVA


A escola é o lugar de se construir, sistematizar, se apropriar e socializar o conhecimento. Além disso, a escola tornou-se um meio pelo qual o sujeito pode ter seu direito à cidadania garantido. Mas apesar de toda essa representatividade na vida do cidadão, vemos ano após ano que a evasão tem aumentado em algumas escolas brasileiras. Diante desses problemas professores e gestores questionam-se com a intenção de compreender a situação e buscar a solução mais viável para a mesma.
No ano de 2005, o “Registro de justificativas para baixa freqüência” do programa Bolsa família do governo federal, mostrou que de acordo com as opções marcadas pelas escolas para justificar a ausência dos alunos, as mais usadas seriam “negligência dos pais” e “sem motivos identificados”. Porém, a reincidência desse tipo de registro, sugere que os gestores, na ausência de uma informação mais próxima da realidade, acabam optando por marcar um motivo genérico o simplesmente se abstêm de identificar o motivo, marcando apenas o código 57 do registro. Tal ação implica em expor mais famílias a situações de maior fragilidade e exclusão, uma vez que em virtude da evasão escolar as famílias podem ser cortadas do programa do governo. Vemos então, a importância de a escola atuar de maneira mais próxima a essas famílias para melhorar a qualidade das informações tão necessárias ao programa e, com isso, facilitar propostas e ações específicas que contribuam para corrigir essa deficiência.
Segundo Freire, os problemas principais da educação não são questões pedagógicas, mas sim, políticas. Para ele, o aluno deve ter uma ampla “noção de consciência crítica e prática de classe”. (Pedagogia da autonomia). É através dessa consciência e dessa criticidade vivida pelo aluno que ele conseguirá assumir-se enquanto cidadão e exercer a cidadania. Sabendo colocar-se diante da sociedade, cumprindo seus deveres e exercendo e/ou cobrando seus direitos.
Uma de nossas principais preocupações enquanto educadores (as) é descobrir qual é a escola que desejamos e como organizá-la de maneira que os alunos aprendam mais. É preciso refletir sobre o contexto social, não só o contexto da escola em que estamos inseridos. Essa reflexão deve ser mais ampla e generalizada. É preciso entender esse contexto, saber identificar as novas demandas de nossas crianças e jovens, além de conhecer, é claro, as principais causas que levam alguns alunos serem poucos assíduos e até evadirem da escola para termos realmente um ensino comprometido e de qualidade.
Segundo Anísio Teixeira, é preciso reformar a escola, e dá a ela uma nova visão da psicologia infantil. “A escola precisa transforma-se no local onde se vive e não em um centro preparatório para vida”. Em sua visão progressista, os educadores precisam de novos elementos de cultura de estudos e de recursos.
Nosso projeto de estágio propõe um trabalho mais voltado para interação, não só com os alunos, mas com suas famílias e demais moradores locais, uma vez que estando mais próximo a comunidade fica fácil identificar situações- problemas que se refletem o ambiente escolar, além de obter através dessa proximidade, os dados necessários e fundamentais para implantação de novas técnicas e metodologias que possibilitem, não só a assiduidade do aluno, mas também sua autonomia e projeção consciente na sociedade. Para tal, é preciso entender que a escola deve assumir uma postura mais reflexiva, se articulando política, administrativa, curricular e pedagogicamente. Ensinando a educar, aprendendo, sendo esse meio tão eficaz, através do qual a democracia pode ser estabelecida e se fortalecendo como agente social no combate a desigualdade.

CRONOGRAMA


DATA


ATIVIDADE PROPOSTA


DESENVOLVIMENTO


DURAÇÃO


RECURSOS

Reinteração do ambiente escolar
Passeio nas dependências da escola para conhecer funcionamento. Em seguida, socialização na sala de aula.
3 horas
Professor, alunos papel 40, piloto e fita adesiva.

Entrevista com funcionários da escola
Dividir a turma em dois grupos. Um grupo monta as questões para entrevista enquanto o outro a desempenhará.
8 horas
Professor, alunos, funcionários, fichas para entrevista, prancheta, caneta.

Apresentação da caixa de sugestões
No pátio, explicar a função de uma caixa de sugestões bem como a sua importância para que a escola possa atender as necessidades dos alunos. Deixar a caixa num ponto estratégico no qual todos da escola tenham acesso.
2 horas
Professor, alunos, caixa de papelão.

Fórum de discussões
No pátio, reunir os alunos para discutir sobre as sugestões mais freqüentes da caixa de sugestões e a viabilidade.
6 horas
Coordenação pedagógica, professor, alunos, papel 40 e piloto e fita adesiva.

Cuidados com o meio
Mini-oficina de reciclagem e produção de cartazes que direcionem para os cuidados e zelo com a escola.
3 horas por dia durante três dias
Garrafas pet, tampas de garrafas, caixas de papelão, caixas de fósforos, cola, pincel, tinta, jornal, cordões, glitter, durex colorido.

Oficina literária
Produção de diversos gêneros textuais: poemas, tirinhas, crônicas, contos, música, matérias jornalísticas com o tema “A escola que eu mereço”
4 horas durante dois dias
Cartolina, piloto, lápis de cor, cola, canetas, fita adesiva.

Palestra com os pais
Encontro com pais ou responsáveis para tratar de assuntos sobre o ambiente escolar e o seu bom funcionamento.
2 horas durante dois dias sendo o segundo encontro uma avaliação das ações implantadas.
Responsáveis pelos alunos, líderes comunitários local, corpo administrativo e pedagógico da escola e o conselho

Culminância do projeto aberta para todos da comunidade.
Exposição do material produzido nas oficinas, apresentações artísticas como música, dança, encenações e um momento para conclusão e uma rápida palavra a direção.
4 horas.
Sistema de som, mural para expor os trabalhos, cadeiras para acomodar as pessoas

RECURSOS

Pessoais
*     Assistente Social
*     Especialista em reciclagem de sucatas
*     Pais ou responsáveis pelos alunos
*     Líder comunitário local
*     Corpo administrativo e pedagógico da escola
*     Conselho escolar

Transporte

Material permanente
*     Cartolina, papel 40, piloto, fita adesiva, cola, tesoura, lápis de cor, cordão, glitter, durex colorido, pincel e tintas p papel e para tecido.
*     Materiais recicláveis ( garrafas pet, tampas de garrafas, caixas de papelão, caixas de fósforos, jornal, cordões)
*     Sistema de som
*     Cadeiras para acomodar as pessoas


AVALIAÇÃO

Será realizada durante toda ação do projeto, identificando envolvimento, participação, viabilidade e dificuldades alcançadas. Os dados ficam registrados num caderno para anotações diárias.

BIBLIOGRAFIA


Revista Nova Escola – edição junho e julho 2008



Nenhum comentário:

Postar um comentário